Este final de semana temos um casamento (de um primo da Priscila) para ir.

O fato é que é estranho como a idéia do casamento se tornou esquisita para praticamente qualquer pesoa de um ambiente secular. Parece até algum tipo de “gamofobia” (sim, acabei de inventar… pelo menos eu acho – gamo – do grego para casamento, fobia… já entendeu); e o pior é que parece que esta gamofobia também tem se espalhado entre cristãos. Gente que tem quase aversão à palavra “casamento”, como se o relacionamento se deteriorasse quando se assume tal postura.
Apesar de estatisticamente no Brasil estar se casando mais, o povo também está se divorciando mais.
O que tem acontecido? Será que falta um pouco de influência de pensamento cristão na sociedade? Será que temos sido mais influenciados do que influenciamos?
Posso com certeza dizer que tenho um casamento feliz – graças a Deus – mas talvez falte divulgar um pouco mais disto. Ninguém tem casamentos perfeitos, mas todos podem batalhar por isto. Talvez o problema seja a falta de desejo de fazê-lo.