“Portanto, não olhamos para aquilo que agora podemos ver; em vez disso, fixamos o olhar naquilo que não se pode ver. Pois as coisas que agora vemos logo passarão, mas as que não podemos ver durarão para sempre.”

Será que Jesus é suficientes para nos trazer alegria hoje? Será que as bênçãos Dele são suficientes para nos fazer continuar nossa jornada mesmo que ela nos pareça imperfeita? Será que Ele é suficiente para nos fazer olhar para pessoas de maneira diferente? Será Ele é suficiente para mudar nossa lógica de sucesso? Será que Ele é suficiente para mudar nossa moral? Será que Ele é suficiente para nos fazer servir com alegria? Será que Jesus é mesmo tudo o que precisamos? A resposta para estas perguntas é SIM. Jesus é suficiente. Ele é a maior bênção que Deus poderia nos dar; não apenas isso, Ele é a maior bênção que iremos viver.

Quando nossos olhos são desviados, quando nossa mente é tomada por sonhos e desejos que não são Jesus, estamos desejando satisfações temporárias. Um dos versos mais destacáveis na Bíblia é o de Jeremias 2.13 que diz:

O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água.”

No momento que você compreende e recebe Jesus, você se torna o mais abençoado que uma pessoa pode ser.  Deixar esta verdade de lado é decidir viver uma vida de insatisfação mesmo com Jesus… Se você não consegue viver uma vida de satisfação, a resposta é simples: volte à simplicidade e suficiência de Jesus porque só Ele é bênção suficiente.

 

Se descubro em mim um desejo que nenhuma experiência deste mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que fui criado para um outro mundo. Se nenhum dos prazeres

terrenos satisfaz esse desejo, isso não prova que o universo é uma tremenda enganação. Provavelmente, esses prazeres não existem para satisfazer esse desejo, mas só para despertá-lo e sugerir a verdadeira satisfação. Se assim for, tenho de tomar cuidado, por um lado, para nunca desprezar as bênçãos terrenas nem deixar de ser grato por elas; por outro, para nunca tomá-las pelo ‘algo a mais’ do qual são apenas a cópia, o eco ou a miragem, Tenho de manter viva em mim a chama do desejo pela minha verdadeira terra natal, a qual só encontrarei depois da morte; e jamais permitir que ela seja arrasada ou caia no esquecimento.

Tenho de fazer com que o principal objetivo de minha vida seja buscar essa terra e ajudar as outras pessoas a buscá-la também.”

CS Lewis