Senhores, qual seu Senhor?

O que está acontecendo com o mundo cristão?
É a pergunta que tenho me feito com constância cada vez maior…

Aparentemente temos nos distanciado a cada dia da definição da palavra SANTIDADE. Temos nos aproximado dos conceitos mais comuns da palavra, que de tão destacadamente superior é impossível assumir um padrão de santidade pra vida comum. É uma cirurgia sobrenatural que acontece com alguns poucos eleitos.

Por outro lado, deveríamos ter mais afeto pela palavra SANTIDADE. A impressão que num mundo cada vez mais personalizado, menos queremos nos destacar como salvos daqueles ao nosso redor… quando todo o objetivo de estarmos aqui nesta terra é vivermos diferentes e testemunharmos daquilo o que Cristo pode fazer na vida daqueles que o assumiram como SENHOR e Salvador.

AAAh, aceitar Jesus como SENHOR e Salvador. Quanto queremos um Salvador… Quão pouco queremos um SENHOR.

Ninguém hoje em dia mais quer ter senhor acima de si. Isso é um legado patriarcal capitalista imposto por opressores alienados das reais necessidades da minoria da qual eu faço parte – e sim… todos hoje em dia querem fazer parte de alguma minoria, mesmo que seja uma minoria que não faz parte de minoria nenhuma…

Uma vida de santidade tem a ver com compreender o óbvio. Entender que Jesus se faz nosso SENHOR quando se torna nosso Salvador, e que isto quer dizer que precisamos nos separar DE um antigo senhor PARA um novo SENHOR. Um que é verdadeiro, bom e perfeito. O problema, é que queremos ser “senhores do nosso destino”… mas nós somos péssimos senhores do nosso destino… somos míopes, enganáveis, péssimos em estratégia e planejamento longo prazo.

A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual.

Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa,

não com a paixão de desejo desenfreado, como os pagãos que desconhecem a Deus.

1 Tessalonicenses 4:3-5

 

Porque morrendo, ele morreu para o pecado uma vez por todas; mas vivendo, vive para Deus.

Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus.

Portanto, não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos.

Não ofereçam os membros dos seus corpos ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros dos seus corpos a ele, como instrumentos de justiça.

Romanos 6:10-13

Santidade ainda é um tema para todo cristão. Todo cristão que ostenta sem peso na consciência o “ser mais igual possível ao mundo”. Que ignora completamente os desejos de seu SENHOR por direito. Que despreza toda instrução de Cristo e de sua palavra por caprichos pessoais.

« »

© 2017 Espaço Supimpa. Theme by Anders Norén.